Doce e tranquila Viseu

Em nossa primeira viagem de reconhecimento, passamos rapidamente por Viseu. Quando pesquisamos sobre o melhor lugar para se viver, logo mostrou Viseu como uma das melhores cidades, com melhor qualidade de vida. Ao chegarmos, logo ficamos encantados, apesar que é difícil não gostar da maioria dos sítios.

1

No Centro de Portugal, rodeada por serras e pelos rios Vouga e Dão, ergue-se a cidade de Viseu, berço de Vasco Fernandes, e importante marco da arte sacra e da arquitetura religiosa, como comprovam as inúmeras igrejas que adornam o centro histórico. Possui cerca de 69 713 habitantes, sendo a segunda maior cidade do centro de Portugal. Tem alguns centros comerciais como:

Palácio do Gelo Shopping: com 164 lojas. Conta como lojas âncoras o Hipermercado Jumbo, Fnac (2.ª maior do país), Rádio Popular (a maior do país), Izi, C&A, H&M, Sport Zone, T&R, Natura, Polar e Brincar e ForLife, e Desigual. Das seis salas de cinema ZON Lusomundo, uma delas tem equipamento 3D. As principais atrações são o Bar de Gelo (único em Portugal), a Pista de Gelo e ainda os Terraços Panorâmicos com vista para as Serras da Estrela e Caramulo.

Fórum Viseu: esta área comercial junta 82 superfícies comerciais, com a beleza do centro da cidade e também do Rio Pavia.

Viseu Retail Park: Conta com quinze lojas. Situado na freguesia de Fragosela.

3
Palácio do Gelo Shopping
2
Cobertura do Shopping
4
Bar do Gelo de Viseu
5
Eu e meu marido no Bar de Gelo

 O seu clima é caracterizado por invernos frescos a frios, com temperaturas médias mensais entre os 6°C e os 9 a 10°C, úmidos, e relativamente ventosos, em especial no mês de janeiro. A primavera é amena, com temperaturas que podem tocar os 28 a 30°C e mínima que vão desde os 3 a 5°C até os 15°C, em dias de muito calor diurno. O verão é quente e seco, com máximas entre os 22 a 25°C e os 30 a 33°C, mínima entre os 12 e os 25°C. O Outono é úmido e fresco, com bastante precipitação e concentrada nos últimos dois meses da estação. As temperaturas vão desde a mínima, na ordem dos 4 a 15°C, ou mais nos dias de setembro e máxima que podem ir aos 30°C em setembro e os 15°C no fim de novembro.

Locais para visitar e passar dias muito agradáveis:

Santuário Nossa Senhora dos Remédios: destacam-se as escadarias em nove lances, com 686 degraus e vários patamares ornamentados com capelas, estátuas, fontes e obeliscos.

Museu Grão Vasco: este espaço museológico de Viseu possui um acervo que inclui obras de arte de diversa tipologia e cronologia. A coleção principal do Museu é constituída por um conjunto notável de pinturas de retábulo, provenientes da Catedral, de igrejas da região e de depósitos de outros museus, da autoria de Vasco Fernandes (c. 1475-1542), o Grão Vasco, de colaboradores e contemporâneos. O acervo inclui ainda objetos e suportes figurativos originalmente destinados a práticas litúrgicas (pintura, escultura, ourivesaria e marfins, do Românico ao Barroco), maioritariamente provenientes da Catedral e de igrejas da região, a que acrescem peças de arqueologia, uma coleção importante de pintura portuguesa dos séculos XIX e XX, exemplares de faiança portuguesa, porcelana oriental e mobiliário.

Quinta da Pacheca: local belíssimo, com degustação de vinhos, visita guiada, também é um lindo hotel. Sem falar na experiência das vindimas.

Caso tenha ficado interessado nessa linda e tranquila cidade, o custo de vida acaba por ser bem baixo, um aluguel de um apartamento com 2 até 3 quartos tem um custo médio de 300 até 700 euros, bem diferente dos grandes centros.

Se curtiu, clica no anúncio e compartilha!

Anúncios
Post Destacado

O que e como devo fazer para viver, melhor dizendo, para ser médica em Portugal?

Titulo

Essa foto da postagem, tirada em 2014, representa bem como me sentia na época que resolvemos mudar de país. Tinha a visão de um lugar ideal, mas havia uma grade impedindo. Me perguntava: O que e como devo fazer para viver, melhor dizendo, para ser médica em Portugal?

Final de 2013, eu e meu esposo tínhamos a certeza que não queríamos mais viver no Brasil. Inicialmente pensamos nos EUA, depois Austrália, tivemos entrevista e percebemos que esses locais não se encaixavam em nosso perfil. Então sugeri Portugal, já que sou portuguesa e talvez isso pudesse ajudar.

Primeiro passo: Em maio de 2014, entramos em contato com o Dr. Rafael Perszel (até hoje tenho dificuldade para falar o sobrenome dele. rs), advogado internacional. Foi muito solicito, tirou muito de nossas dúvidas e nos orientou.

Segundo passo: Conhecer o país. Pode parecer idiota, mas acho extremamente importante conhecer o local que você pretende iniciar sua vida do zero, pois não estamos falando de mudança de bairro e sim mudança internacional. Em outubro de 2014 fizemos o “reconhecimento” do país, andamos pela região Norte e Sul, conversamos com todo tipo de gente, visitamos hospitais, tentamos abrir conta no banco (sem sucesso, depois explico o processo para tal), fomos a supermercados, sentimos o clima, pesquisamos sobre custo de vida, em resumo, tentamos entender um pouco de como seria morar em Portugal.

Encontramos em Portugal o nosso paraíso, lugar lindíssimo, calmo, com infinitos jardins, igrejas, monumentos, museus, muita arte, com uma gastronomia de virar os olhos e muito mais. Sério, sem exageros, a cada esquina uma grata surpresa, independente do sítio. Com o tempo vou postando fotos dos lugares que visitamos, talvez ajude quem deseja vir para morar ou até mesmo passar férias.

Paisagem2

Terceiro passo: Dar continuidade ao processo de equivalência à licenciatura em medicina e atribuição do grau de mestre em medicina. “Iniciamos” nosso processo em agosto de 2014 através do Dr. Rafael Perszel (depois escrevo sobre essa nossa opção). Não pensem que a lista de documentos é fácil, muito pelo contrário, porém nada impossível de conseguir, apenas toma tempo e precisamos ter paciência. Após levantamento de toda documentação, em novembro de 2014, finalmente conseguimos entregar para ser enviado e iniciarmos no processo de janeiro / 2015. Percebam o tempo que gastamos para conseguir os documentos, reconhecer firma, autenticar e etc.

Lista de documentos:

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS – Universidade Nova de Lisboa (os originais deverão ser acompanhados de respectiva cópia)

 –       Diploma original de curso;

–       Certidão original com todas as notas de curso, autenticada pela Universidade;

–       Conversão da escala numérica (caso seja diferente da escala de 0 a 20);

–       Documento de identificação original, ou fotocópia autenticada;

–       Certidão original do Conselho Regional/Federal de Medicina, autenticada pela Instituição (certificando a inscrição e atestando qualquer registo relevante no seu processo com data não superior a 3 meses);

–       Programas analíticos originais, com as cargas horárias devidamente descriminadas, do Plano de Estudos do curso de Medicina frequentado;

–       Programas analíticos originais, com as cargas horárias devidamente descriminadas, do Plano de Estudos do curso de Medicina actual;

–       Documento original comprovativo das classificações obtidas nos processos de avaliação externa do curso de Medicina do Estabelecimento de Ensino Superior onde o mesmo foi concluído;

–       Programas originais de Pós-Graduação (Pós-graduações/Mestrado/Doutoramentos) aprovados e a decorrer;

–       Documento original com produção científica do Estabelecimento de Ensino Superior onde foi concluído o curso de Medicina (indexada, dos últimos 3 anos);

–       Currículo Académico e profissional do candidato, assinado e datado, acompanhado dos respectivos comprovativos.

–       Procuração, que segue em anexo, informando a Universidade desejada (Porto ou Nova de Lisboa)

 DOCUMENTOS NECESSÁRIOS – Universidade do Porto

 –       Cópia autenticada do Diploma;

–       2ª via do histórico carimbado, assinado e com firma reconhecida;

–       Programa das disciplinas da Universidade à época de frequência do curso, com todas as folhas carimbadas pela própria Universidade e a primeira assinada com firma reconhecida;

–       Declaração de Conclusão de curso com média final, com firma reconhecida;

–       Nada consta do CRM dentro do prazo de validade de 90 dias, com firma reconhecida;

–       Cópia autenticada do passaporte ou do RG;

–       Currículo completo com comprovantes;

–       Procuração, que segue em anexo, informando a Universidade desejada (Porto ou Nova de Lisboa);

–       Documento relativo ao coeficiente acumulado e explicação da fórmula de coeficiente.

Quarto passo: Em 16/06/2015, após longa espera pela análise dos documentos, recebemos a tão esperada notícia que nossos documentos estavam ok, bem como devíamos enviar os trabalhos o quanto antes. Nessa época ainda não haviam dado uma data limite para envio, porém sabíamos que não podíamos demorar. Em 22/07/2015, recebemos o comunicado sobre a data limite que seria 20/09/2015, mas nossos trabalhamos estavam prontos, apenas finalizando a parte da gráfica.

Documentos a entregar:

– 5 Exemplares do Trabalho em suporte de papel com encadernação (argolas ou colagem), devidamente identificado

– 4 Exemplares do Trabalho em suporte digital (CD em caixa dura), devidamente identificado (CD e caixa)

– Parecer   do   orientador,  original   em   papel   timbrado   e   com   carimbo   da instituição.

Quinto passo: Dia 05/11/2015, recebo esse e-mail: Por indicação da Comissão de Equivalências, informo que de acordo com parecer do revisor nomeado para o efeito, o trabalho apresentado pela Dra. Maria de Fátima Sampaio Fernandes Calani, reúne as condições para ser apresentado e discutido publicamente.

Minha defesa foi agendada para 29/01/2016 às 09:30. Então era o momento de estudar como nunca e nos preparar financeiramente para mais uma viagem.

Chegamos dia 16/01/2016 em Portugal, precisava desses dias para me tranquilizar, assim como estudar, estudar, estudar sem parar. Pois foi isso que fiz até o dia 28/01, véspera de minha apresentação.

Estudando2

Em 29/01/2016, estava muito frio, sem noção, temperatura de 04ºC, com sensação térmica da terra do Papai Noel. Coloquei meia calça, uma calça térmica, mais outra calça, duas blusas, meu casaco e fui para o local de tortura. Era assim que sentia, tremia por dentro, mas não deixava isso transparecer, caso contrário, todo meu treinamento de dias, durante horas, apresentando o trabalho para o espelho, flores, cama, chuveiro e o coitado do meu marido que não aguentava mais escutar minha apresentação iria pelo ralo…. Vou contar esse dia com detalhes, prometo! Caso contrário, não termino isso aqui. Rs

Sexto passo: Esperar, esperar e esperar, em 17/08/2016 o tão sonhado documento chegou. Com essa notícia, nos preparamos para ir novamente à Portugal para dar entrada na inscrição na Ordem dos Médicos e pedidos de autonomia. Vou explicar esse processo em outra postagem, assim não bagunça a cabeça de ninguém, caso contrário alguns vão entrar em pânico e talvez pensar em desistir e, esse não é meu objetivo.

Nossos passos continuam, sei lá, devemos hoje estar no décimo sexto passo…, mas não se esqueçam, o importante é ter foco, fé, força e pensamento positivo de que tudo vai dar certo. Ops, esqueci de uma coisa importante, é preciso dindim, também. Ô treco dispendioso, mas na minha humilde opinião, vale cada centavo.

Quem tiver interesse, deixo o contato do Dr. Rafael Perszel, responsável pelo meu processo de equivalência.

E-mail: rafael@perszel.com.br

Telefone: 21 96732-5420

Se curtiu, não deixe de clicar no anúncio, se inscrever no blog e compartilhar!

 

Post Destacado

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: