O que e como devo fazer para viver, melhor dizendo, para ser médica em Portugal?

Titulo

Essa foto da postagem, tirada em 2014, representa bem como me sentia na época que resolvemos mudar de país. Tinha a visão de um lugar ideal, mas havia uma grade impedindo. Me perguntava: O que e como devo fazer para viver, melhor dizendo, para ser médica em Portugal?

Final de 2013, eu e meu esposo tínhamos a certeza que não queríamos mais viver no Brasil. Inicialmente pensamos nos EUA, depois Austrália, tivemos entrevista e percebemos que esses locais não se encaixavam em nosso perfil. Então sugeri Portugal, já que sou portuguesa e talvez isso pudesse ajudar.

Primeiro passo: Em maio de 2014, entramos em contato com o Dr. Rafael Perszel (até hoje tenho dificuldade para falar o sobrenome dele. rs), advogado internacional. Foi muito solicito, tirou muito de nossas dúvidas e nos orientou.

Segundo passo: Conhecer o país. Pode parecer idiota, mas acho extremamente importante conhecer o local que você pretende iniciar sua vida do zero, pois não estamos falando de mudança de bairro e sim mudança internacional. Em outubro de 2014 fizemos o “reconhecimento” do país, andamos pela região Norte e Sul, conversamos com todo tipo de gente, visitamos hospitais, tentamos abrir conta no banco (sem sucesso, depois explico o processo para tal), fomos a supermercados, sentimos o clima, pesquisamos sobre custo de vida, em resumo, tentamos entender um pouco de como seria morar em Portugal.

Encontramos em Portugal o nosso paraíso, lugar lindíssimo, calmo, com infinitos jardins, igrejas, monumentos, museus, muita arte, com uma gastronomia de virar os olhos e muito mais. Sério, sem exageros, a cada esquina uma grata surpresa, independente do sítio. Com o tempo vou postando fotos dos lugares que visitamos, talvez ajude quem deseja vir para morar ou até mesmo passar férias.

Paisagem2

Terceiro passo: Dar continuidade ao processo de equivalência à licenciatura em medicina e atribuição do grau de mestre em medicina. “Iniciamos” nosso processo em agosto de 2014 através do Dr. Rafael Perszel (depois escrevo sobre essa nossa opção). Não pensem que a lista de documentos é fácil, muito pelo contrário, porém nada impossível de conseguir, apenas toma tempo e precisamos ter paciência. Após levantamento de toda documentação, em novembro de 2014, finalmente conseguimos entregar para ser enviado e iniciarmos no processo de janeiro / 2015. Percebam o tempo que gastamos para conseguir os documentos, reconhecer firma, autenticar e etc.

Lista de documentos:

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS – Universidade Nova de Lisboa (os originais deverão ser acompanhados de respectiva cópia)

 –       Diploma original de curso;

–       Certidão original com todas as notas de curso, autenticada pela Universidade;

–       Conversão da escala numérica (caso seja diferente da escala de 0 a 20);

–       Documento de identificação original, ou fotocópia autenticada;

–       Certidão original do Conselho Regional/Federal de Medicina, autenticada pela Instituição (certificando a inscrição e atestando qualquer registo relevante no seu processo com data não superior a 3 meses);

–       Programas analíticos originais, com as cargas horárias devidamente descriminadas, do Plano de Estudos do curso de Medicina frequentado;

–       Programas analíticos originais, com as cargas horárias devidamente descriminadas, do Plano de Estudos do curso de Medicina actual;

–       Documento original comprovativo das classificações obtidas nos processos de avaliação externa do curso de Medicina do Estabelecimento de Ensino Superior onde o mesmo foi concluído;

–       Programas originais de Pós-Graduação (Pós-graduações/Mestrado/Doutoramentos) aprovados e a decorrer;

–       Documento original com produção científica do Estabelecimento de Ensino Superior onde foi concluído o curso de Medicina (indexada, dos últimos 3 anos);

–       Currículo Académico e profissional do candidato, assinado e datado, acompanhado dos respectivos comprovativos.

–       Procuração, que segue em anexo, informando a Universidade desejada (Porto ou Nova de Lisboa)

 DOCUMENTOS NECESSÁRIOS – Universidade do Porto

 –       Cópia autenticada do Diploma;

–       2ª via do histórico carimbado, assinado e com firma reconhecida;

–       Programa das disciplinas da Universidade à época de frequência do curso, com todas as folhas carimbadas pela própria Universidade e a primeira assinada com firma reconhecida;

–       Declaração de Conclusão de curso com média final, com firma reconhecida;

–       Nada consta do CRM dentro do prazo de validade de 90 dias, com firma reconhecida;

–       Cópia autenticada do passaporte ou do RG;

–       Currículo completo com comprovantes;

–       Procuração, que segue em anexo, informando a Universidade desejada (Porto ou Nova de Lisboa);

–       Documento relativo ao coeficiente acumulado e explicação da fórmula de coeficiente.

Quarto passo: Em 16/06/2015, após longa espera pela análise dos documentos, recebemos a tão esperada notícia que nossos documentos estavam ok, bem como devíamos enviar os trabalhos o quanto antes. Nessa época ainda não haviam dado uma data limite para envio, porém sabíamos que não podíamos demorar. Em 22/07/2015, recebemos o comunicado sobre a data limite que seria 20/09/2015, mas nossos trabalhamos estavam prontos, apenas finalizando a parte da gráfica.

Documentos a entregar:

– 5 Exemplares do Trabalho em suporte de papel com encadernação (argolas ou colagem), devidamente identificado

– 4 Exemplares do Trabalho em suporte digital (CD em caixa dura), devidamente identificado (CD e caixa)

– Parecer   do   orientador,  original   em   papel   timbrado   e   com   carimbo   da instituição.

Quinto passo: Dia 05/11/2015, recebo esse e-mail: Por indicação da Comissão de Equivalências, informo que de acordo com parecer do revisor nomeado para o efeito, o trabalho apresentado pela Dra. Maria de Fátima Sampaio Fernandes Calani, reúne as condições para ser apresentado e discutido publicamente.

Minha defesa foi agendada para 29/01/2016 às 09:30. Então era o momento de estudar como nunca e nos preparar financeiramente para mais uma viagem.

Chegamos dia 16/01/2016 em Portugal, precisava desses dias para me tranquilizar, assim como estudar, estudar, estudar sem parar. Pois foi isso que fiz até o dia 28/01, véspera de minha apresentação.

Estudando2

Em 29/01/2016, estava muito frio, sem noção, temperatura de 04ºC, com sensação térmica da terra do Papai Noel. Coloquei meia calça, uma calça térmica, mais outra calça, duas blusas, meu casaco e fui para o local de tortura. Era assim que sentia, tremia por dentro, mas não deixava isso transparecer, caso contrário, todo meu treinamento de dias, durante horas, apresentando o trabalho para o espelho, flores, cama, chuveiro e o coitado do meu marido que não aguentava mais escutar minha apresentação iria pelo ralo…. Vou contar esse dia com detalhes, prometo! Caso contrário, não termino isso aqui. Rs

Sexto passo: Esperar, esperar e esperar, em 17/08/2016 o tão sonhado documento chegou. Com essa notícia, nos preparamos para ir novamente à Portugal para dar entrada na inscrição na Ordem dos Médicos e pedidos de autonomia. Vou explicar esse processo em outra postagem, assim não bagunça a cabeça de ninguém, caso contrário alguns vão entrar em pânico e talvez pensar em desistir e, esse não é meu objetivo.

Nossos passos continuam, sei lá, devemos hoje estar no décimo sexto passo…, mas não se esqueçam, o importante é ter foco, fé, força e pensamento positivo de que tudo vai dar certo. Ops, esqueci de uma coisa importante, é preciso dindim, também. Ô treco dispendioso, mas na minha humilde opinião, vale cada centavo.

Quem tiver interesse, deixo o contato do Dr. Rafael Perszel, responsável pelo meu processo de equivalência.

E-mail: rafael@perszel.com.br

Telefone: 21 96732-5420

Se curtiu, não deixe de clicar no anúncio, se inscrever no blog e compartilhar!

 

Anúncios

38 Comments

  1. Felipe Calani disse:

    Te desejo muita sorte e sucesso nesse blog ! Te amo muito.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Raquel Tavares disse:

    Adorei! Vai me ajudar muito!! 🍀😘🙏🏼

    Curtido por 1 pessoa

  3. Rafael Perszel disse:

    O importante é não temer regulamentos ou regras e irem em frente.l como vocês fizeram. Está ao alcance das mãos. O trabalho compensa para quem busca qualidade de vida.

    Obrigado pela lembrança e indicação. Sigo à disposição do que necessitarem.

    Curtir

  4. Agostinho & Tereza disse:

    Hoje resolvi deixar uma mensagem para você, seu blog está tão lindo e tão bem escrito que,serei repetitiva ,sentimos muito orgulho de ser seus pais e temos a certeza que está no caminho certo.
    Parabéns,muitas felicidades e sucesso sempre.Amamos vocês.

    Curtir

  5. Diego Costa Ferreira disse:

    Parabéns! Pretendo fazer a equivalência do meu diploma em breve. Estou cursando mestrado aqui no Brasil. Será que poderia apresentar meu trabalho neste processo? Caso contrário, como sabiam que deveriam estar com o trabalho pronto? Sua orientadora era da Universidade Nova de Lisboa?

    Curtido por 1 pessoa

    • Fatima Calani disse:

      Olá Diego, como vai?
      Ótima decisão.
      Caso queira realizar a equivalência sem ter terminado o mestrado, não há problema. se quiser usar seu trabalho, também pode.
      Minha orientadora foi a Carolyne Farias Boggiss, dermatologista formada pela UFRJ. Não é necessário ser orientador daqui.
      Abraços e boa sorte!

      Curtir

  6. Suzy disse:

    Oi Fátima!!! Inicialmente parabéns pelo Blog!! Está ótimo!! Queria te perguntar sobre a apresentação de trabalhos. Quando eu terminei a faculdade não me foi exigido uma TCC. Tbm não tenho Mestrado. No momento sigo em uma pós graduação mas n finalizei. Gostaria de te perguntar como seria esse trabalho? É necessário que seja um trabalho de conclusão de curso ou posso fazer um trabalho que não esteja relacionado a uma pós graduação, Mestrado? Desde já agradeço!!!

    Curtido por 1 pessoa

    • Fatima Calani disse:

      Olá Suzy, como vai?
      Fique tranquila, na época também não tinha TCC, nem mestrado. Apenas segui as orientações da Universidade para execução do trabalho.
      Beijo e boa sorte!

      Curtir

  7. Olá, Fátima!
    O blog é ótimo! Parabéns!

    Como foi o processo do seu marido em ingressar para o internato médico?
    Gostaria de ir para Portugal por esse mesmo caminho..

    Beijo

    Curtido por 1 pessoa

    • Fatima Calani disse:

      Francini, bom dia!!
      Desculpa pela demora, mas o estudo para ingressar no internato anda tomando muito meu tempo.
      Esse ano que será nossa prova, após isso vou escrever como foi. Mas caso já queira ir entendendo um pouco do processo, entra no site da ACSS, lá tem tudo bem explicado.
      Beijo e boa sorte!

      Curtir

  8. Taise disse:

    Boa tarde, Fatima! Tudo bem?
    Em relação ao trabalho, você sabe se pode ser um TCC realizado na conclusão da residência da especialidade de anestesia aqui no Brasil? Se não, como faço para saber como é que deve ser realizado esse trabalho?

    Obrigada!

    Curtido por 1 pessoa

  9. Nayara Antelo disse:

    Olá, Fátima!! Estou muito feliz pela conquista de vocês!! Eu e meu namorado somos residentes mas pensamos muito em iniciar um processo de equivalência para Portugal. Seu blog é sensacional.
    2 perguntas.
    Ter cidadania portuguesa ajuda em algo? Tanto no processo de equivalência ou na permanência no país?

    Outra, o trabalho, pode ser tcc da faculdade ou trabalho apresentado como pôster eletrônico em algum congresso?

    Muito Obrigada!!

    Curtido por 1 pessoa

    • Fatima Calani disse:

      Nayara, muito obrigada!

      1- ser cidadão ajuda muito na permanência no país. no processo não faz diferença alguma. Eu sou e meu marido nào é, foi tudo igual. Falo sobre isso em um dos textos.

      2- Pode sim. Basta você seguir as orientaçoes, dessa forma não tem erro.

      Bj e boa sorte!

      Curtir

  10. Vívian disse:

    Oi,Fatima! Primeiro, obrigada por compartilhar tudo! Quando vc se refere a Trabalho, seria um TCC?

    Curtido por 1 pessoa

    • Fatima Calani disse:

      Oi Vívian, como se fosse isso. Mas não é necessa’rio ter um para se candidatar. Basta seguir as regras da universidade, tudo é explicado após inscrição no processo. Falo sobre isso em dois tetxos que escrevi.
      Boa sorte!

      Curtir

  11. Lidiane Santana disse:

    Olá Fátima tudo bem , estou programando minha ida a Portugal , mas estava olhando que tem
    Universidades que exigem uma prova , vc entregou a documentação sem monografia , depois que eles disseram pra vc entregar ? Não fez prova de estado ?

    Curtir

    • Fatima Calani disse:

      Lidiane, depois leia o relato que fiz sobre o meu processo, descrevi por completo.
      hoje o processo é unificado em todas as instituições, então terá que fazer prova teórica + prática + defesa de tese.
      Bj e boa sorte!

      Curtir

  12. Daniela disse:

    Fatima, desculpe a ignorância mas o que é “autonomia”? Você fez faculdade tradicional ou PBL? Seu marido ainda não conseguiu validar a especialidade, ne? Morro de vontade de ir para aí mas sou dermatologista e não queria ter que refazer a residência.

    Curtido por 1 pessoa

    • Fatima Calani disse:

      Olá Daniela, como vai?
      Não é ignorância… Vamos lá!
      Ter autonomia nada mais é que, poder atuar como médica (prescrever, dar plantão, literalmente ter autonomia para exercer sua função de médica).
      Fiz faculdade tradicional.
      Revalidar é difícil, porém não impossível. Escrevi um post sobre.
      Beijo!

      Curtir

  13. BÁRBARA FERREIRA disse:

    Muito bom seu blog Fátima. Estou com a idéia agora de mudar para Portugal,então ainda estou meio perdida com tantas informações!haha.Gostaria de saber a respeito desse trabalho que você teve que apresentar,não entendi muito bem,é tipo um tcc?quem orientou?todos tem apresentar esse trabalho para conseguir a equivalência?

    Curtir

    • Fatima Calani disse:

      Bárbara, tudo bem?
      Feliz que tenha gostado do blog.
      Peço, por favor, que leia o post defesa de tese, lá explico como foi o trabalho e quem me orientou.
      Hoje o processo é unificado, você terá três etapas: prova teórica, prova prática e apresentação da sua defesa de tese para uma banca de especialistas, após mais uma hora de perguntas, que pode fugir um pouco do tema, como eu explico no post.
      Você apenas consegue equivalência após esse processo, não existe outra forma, mesmo sendo de faculdade pública, não há acesso direto.
      Boa sorte!! 🍀

      Curtir

  14. SÉRGIO SÓRIA disse:

    FATIMA, bom dia! li o seu post que foi muito elucidativo. porém fiquei com algumas dúvida com relação ao candidato à equivalência:
    1- Conversão da escala numérica (caso seja diferente da escala de 0 a 20) – é feita no consulado de PORTUGAL ou em outro lugar?
    2- Documento original comprovativo das classificações obtidas nos processos de avaliação externa do curso de Medicina do Estabelecimento de Ensino Superior onde o mesmo foi concluído – seria um documento do MEC avaliando a faculdade onde concluí Medicina?
    3- Programas originais de Pós-Graduação (Pós-graduações/Mestrado/Doutoramentos) aprovados e a decorrer – seria um documento do MEC avaliando a faculdade onde concluí Medicina? ou PG / mestrado / doutorado que o candidato realizou?
    4- Documento original com produção científica do Estabelecimento de Ensino Superior onde foi concluído o curso de Medicina (indexada, dos últimos 3 anos) – do candidato?
    5- Documento relativo ao coeficiente acumulado e explicação da fórmula de coeficiente – onde se obtém?
    6- Observei que no seu ‘processo’, você encaminhou a documentação e aguardou a apresentação ‘do trabalho’ – seria sua defesa de tese de mestrado já feita aqui no Brasil? Para quem não tem mestrado, alguma outra possibildiade?
    7- Depois de aprovado, vi que você ‘somente’ encaminhou a solicitação à Ordem dos Médicos, sem realização de provas de conhecimento teóricas e/ou práticas. Vi num post de outro colega que foi necessário realizar provas téoricas e práticas para depois dar continuidade no processo. Procede?
    Desculpe as várias dúvidas, mas agradeceria as explanações.
    Att. SÉRGIO SÓRIA

    Curtir

    • Fatima Calani disse:

      Olá Sérgio, como vai?
      Sobre os documentos, cada instituição possui uma lista, por isso, acho melhor aguardar a abertura do processo para saber o que eles realmente querem, em caso de dúvidas, enviar e-mail ou contratar um advogado, como fiz.
      Escala de nota será feita no consulado, coeficiente de rendimento é na sua instituição.
      Não tinha mestrado no Brasil, por isso o meu processo foi apresentar um trabalho com 15 minutos e após tive uma hora de perguntas ( imunologia, fármacos, efeitos adversos, diagnóstico diferencial, tratamento etc). Aqui em Portugal todos se formam com mestrado.
      Antigamente, dependendo do currículo e análise de documentos eles pediam também uma prova teórica, mas isso é passado, hoje o processo está unificado, mesmo com doutorado precisa fazer prova prática e teórica, a apresentação com perguntas no final, só será feita para aqueles que não tem mestrado ou doutorado.
      Após finalização do processo, você precisa aguardar o envio do documento da equivalência, após isso, irá reunir outros tantos documentos e ter número de contribuinte em Portugal, só assim poderá ir pessoalmente à Ordem dos Médicos solicitar sua inscrição / pedido de autonomia, essa análise leva aproximadamente 4 até 6 meses.
      Boa sorte e espero ter tirado suas dúvidas.

      Curtir

  15. Marcelo de Sousa Tavares disse:

    Fátima
    Novamente parabéns pelo blog. Sou formado há 30 anos. A dúvida é se esta prova teórica e prática são da minha especialidade ou é de Medicina em geral??

    Curtir

  16. Priscilla pires disse:

    Parabéns Fátima!
    Se puder, me tire umas duvidas, por favor, você não precisou fazer prova teórica e prática? E só consegue a equivalência se tiver mestrado?
    Obrigada.

    Curtir

    • Fatima Calani disse:

      Priscilla, obrigada!
      Vamos lá… Na época tive que apresentar um trabalho para uma banca de especialistas no meu tema. Duração de 15 minutos, nada mais e nada menos, após tive uma hora de perguntas e respostas, como diagnóstico diferencial, efeito dos fármacos, imunologia, riscos do tratamento e muito mais. Hoje, além dessa etapa precisa de prova teórica (100 questões objetivas) + prova prática.
      Eu não tinha mestrado, por isso mesmo tive que apresentar uma tese com orientador e assinatura do mesmo.
      Boa sorte!🍀

      Curtir

  17. Lilly disse:

    Oi Fatima,

    Estou pensando em fazer a revalidacao do meu diploma em Portugal. Estava tentando aqui na Irlanda, mas por conta das leis eles nos bloqueiam de progredir na carreira. Entao estou pensando em tentar em outro pais. Vi que algumas universidades em Portugal pararam com a validacao por equivalencia ate reorganizarem o processo de revalidacao. Voce tem alguma informacao sobre isso?
    Eu preciso contratar advogado para o processo? Tenho mestrado realizado numa universidade do Reino Unido, sera que precisarei defender a tese?
    Outra situacao e que nao trabalho desde 2014 quando iniciei meu mestrado.

    Curtir

    • Fatima Calani disse:

      Lilly, como vai?
      Exatamente, no momento todas fechadas. Depois veja um post que passo o link de todas que fazem esse processo. O ideal entrar todo mês e acompanhar.
      Não é necessário advogado, mas eu preferi pagar um e não me arrependo, também já falei sobre isso.
      Talvez defender a tese, não. Mas terá que fazer prova teórica e prática.
      Sobre estar sem trabalhar, para pedido de autonomia na Ordem dos Médicos, precisa comprovar três anos de trabalho nos últimos 5anos.
      Espero ter ajudado e boa sorte!

      Curtir

  18. Tatiane disse:

    Olá Fátima! Obrigada por tantos esclarecimentos! Tenho algumas duvidas e espero nao ocupar-lhe tanto! Tenho apenas 1 ano e meio de formada em medicina porém anteriormente fiz farmácia e um mestrado em farmacologia! Pretendo ir a Portugal pra fazer o doutorado e nesse meio tempo tentar a validacao do diploma! A principio minha pergunta é: sera que eu poderia usar minha tese de doutorado, ou experimento advindos desse doutoramento para usar na validacao? Outra pergunta é: pretendo fazer a residencia ai! Alem de estudar para a prova sera que conseguiria algum estagio em hospital nesse tempo? Minha terceira pergunta é: ate que ponto a avaliacao do mec da universidade que vc forma ou as notas durante a graduacao influenciam nesse processo? Mais uma vez muito obrigada pela atenção!

    Curtido por 1 pessoa

    • Fatima Calani disse:

      Olá Tatiana, como vai?
      Respostas:
      *Pode usar sem problema algum.

      *Tatiana, estágio é algo bem complicado, caso consiga o mesmo não será remunerado, isso não existe aqui. Mais um detalhe, tenha foco em estudar para prova, a coisa aqui é bem complicada e necessita de dedicação.

      *Não influenciam em absolutamente nada, aqui toda sua vida academia do Brasil não é levada em consideração.

      Bj e boa sorte! 🍀

      Curtir

  1. […] passar pelo processo de equivalência (Post 2 e Post 6), inscrição na Ordem dos Médicos e finalmente possuir sua cédula profissional, todos […]

    Curtido por 1 pessoa

  2. […] para poder trabalhar aqui é necessário ter a equivalência (como explicado o passo a passo no Post 2). Com ela em mãos, iremos solicitar a inscrição na Ordem dos Médicos de Portugal (irei escrever […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: